//Homem é condenado a 23 anos de reclusão por estupro de vulnerável em Lages

Homem é condenado a 23 anos de reclusão por estupro de vulnerável em Lages

Além do crime hediondo de estupro de vulnerável, quando a vítima tem menos de 14 anos, o homem foi condenado por posse ilegal de arma de fogo. O acusado, um idoso de 71 anos de idade, teve as penas somadas e deve cumprir, em regime inicial fechado, o tempo de 23 anos e seis meses de prisão. O Juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Lages considerou o réu culpado e o sentenciou em gabinete nesta quarta-feira (10). O fato que veio a público e teve repercussão nas redes sociais ocorreu em dezembro de 2017, em um ponto de ônibus do bairro da Penha, com exposição pública da vítima, na época com 10 anos. Porém, na denúncia que integra o processo, o crime de estupro era praticado desde 2014.  O acusado era tio menina. Ele morava no interior de uma cidade vizinha e frequentava a casa dos parentes toda semana. Para atrair a garota, ele a convidava para ir ao mercado para lhe presentear com doces e presentes. O juiz Alexandre Takaschima aplicou a pena de 22 anos e seis meses para o crime de estupro de vulnerável, com as atenuantes de réu ter mais de 70 anos e confessado espontaneamente,  e mais um ano pelo de posse ilegal de arma de fogo. O homem estava preso desde março 2018.

Taina Borges – Assessoria de Imprensa do TJSC – comarca de Lages

 

Entenda o caso! 

Um véio nojento, safado de 71 anos, morador do interior município de Painel, foi preso na tarde de  quarta-feira (14),março de 2018, por estupro de vulnerável, já que a vítima era sua sobrinha de 10 anos, apenas.

Tudo começou quando foi feito a filmagem desse “monstro”, no ponto de ônibus, junto com a criança, abusando dele no bairro da Penha em Lages. O comportamento era estranho e a gravação foi entregue na Delegacia da Mulher.

Desde os 7 anos

Delegado Frederico Cezar, começou a monitorar o cidadão e ficou-se sabendo que o abuso acontecia desde que a criança tinha 7 anos. – Inicialmente soubemos que ele aliciava com doces, passeios, e a criança se submetia, talvez até por não ter noção, contou o delegado.

A prisão preventiva do sujeito saiu na tarde de quarta-feira, quando o delegado estava defronte a residência. Dentro da casa encontrou-se uma arma e, levado para a delegacia, ele confirmou o estupro, e teve a cara de pau, em dizer que a menina, foi quem procurou ele.