A Polícia Militar e a sociedade

Em todo segmento da sociedade encontramos os prós e os contras, os bons e os maus. O povo, paternalista como é, sempre gosta de exigir. Por um bom serviço prestado. Por um lado, tem suas razões, afinal paga imposto ao Governo. Entretanto, no segmento policial, nem sempre as coisas são assim como muitos pensam. Proporcionar segurança a uma população, seja lá qual for o porte, não é nada fácil. A PM, antes de sair na rua para cuidar do cidadão, necessita de um veículo, que tenha combustível e que esteja em boas condições mecânicas. Antes de colocar o pé na estrada, eles precisam estar barbeados, coturnos engraxados, armamentos em ponto de bala, etc. Pois nem sempre é assim. Primeiro, a PM é uma instituição subordinada diretamente ao Governo do Estado, que, por sua vez tem que manter a tropa com a auto estima elevada, mesmo que, as vezes, em que sair às ruas com salários atrasados, armamentos obsoletos, viaturas velhas e com defeitos mecânicos. Sem contar a obrigação de enfrentar uma escala de serviço apertada. Sabe porque? Pela escassez de efetivos.

PM: a mão amiga da sociedade

Será que o cidadão civil prestou bem a atenção nas dificuldades dos policiais militares que aqui relatamos? E tem mais, como ser humano, todo policial tem horas de enfrentar seus problemas particulares. Eles são maridos, pais, e acima de tudo, também seres humanos. Porém, nem sempre tem tempo para se dedicar aos seus familiares. Precisam dar segurança à sociedade que paga seus salários. Enfim, depois de passar por todos esses problemas, lá vai o policial fazer valer a sua profissionalização, que é defender a sociedade das garras dos maus cidadãos, dos malacos, dos larápios, dos drogados, e de elementos de diferentes personalidades. Uns, maus por natureza. Outros, sem educação de berço preferiram a vida fácil, vivem dando problemas à sociedade e aos integrantes dos corporações policiais. Quantas vezes um policial, tem que dar segurança à população, e nem sequer tem o direito de passar uma noite de Natal com a família, ou o Dia das Mães com sua progenitora. Um aniversário com o filho ou com a esposa. Assim é a vida de um policial que todos os dias sai à rua, sem a certeza de que voltará para sua casa, no aconchego de seus familiares. Mesmo assim, há cidadãos que ainda falam mal da segurança que recebem, criticam os policiais por agirem com medidas drásticas. Porém, na hora da dificuldade, é pelo 190 que não para de chamar que pedem socorro à Polícia Militar. Lá vão eles, te dar a mão sem saber quem você é. Portanto, quando for maldizer um policial, pare, pense, e faça uma confissão do fundo do teu coração: “é deles que necessito quando o perigo se faz presente em minha vida”

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário