Baixo efetivo da Polícia Civil afeta a segurança dos catarinenses

A Polícia Civil do Estado de Santa Catarina vem realizando um trabalho ímpar, combatendo a corrupção nessa época de pandemia, fazendo valer os impostos dos cidadãos catarinenses e coibindo todo tipo de crime, porém a instituição ainda carece muito de investimento, principalmente no que diz respeito ao efetivo policial que está muito defasado.


O crime organizado vem crescendo em Santa Catarina destacando-se os crimes de fraudes, licitações irregulares e estelionatos eletrônicos, o número de homicídios cresceu 166% na capital e o número de ocorrências por tráfico de drogas aponta mais de 428% de crescimento, nos últimos 12 anos.
O efetivo policial de hoje é o mesmo de quando Santa Catarina contava com a metade da população, no ano de 1987.


O último concurso realizado foi em 2017, sendo que apenas ¼ das vagas foram nomeadas. O déficit chega a 47% do cargo de agente da Polícia Civil e 29% do cargo de Escrivão.
É visível a discrepância como a Polícia Civil é tratada pelo governo, em relação às outras instituições da Segurança Pública, pois algumas como: Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar e Instituto Geral de Perícias, apesar de também apresentarem déficit no efetivo e serem de suma importância, receberam nomeações expressivas e um cronograma de nomeação dos aprovados.


Fica a pergunta: A quem interessa enfraquecer a Polícia Civil

Fonte texto : Aprovados PCSC.

Foto capa: Polícia Civil Santa Catarina

@aprovadospcsc

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!