“Marião” diz que CPI do Natal Infelicidade foi ato de molecagem inconseqüente

Face ao Pedido de Arquivamento do Processo da CPI do Natal Infelicidade pelo MP/SC, já era esperado que alguém que foi citado e acusado pelo presidente da CPI viesse desabafar. E não deu outra! O ex-vereador e secretário Municipal do Desenvolvimento Econômico de Lages, numa entrevista a uma emissora local abriu sua caixa de ferramentas. Disse “Marião” que a CPI foi uma forma de se autopromover que o vereador Jair encontrou para chamar a atenção da comunidade. “A infelicidade que ele teve, foi tentar se promover em cima de gente honesta” observou o titular da Pasta do Desenvolvimento Econômico, Mário Hoeller de Souza.

Responder judicialmente

Na verdade, o ex-vereador “Marião” disse que estava na entrevista em nome de mais alguns acusados indevidamente na CPI. Entre eles, Agessander Belezinha e Gabriel, citados como formadores de quadrilha. Indignado, “Marião”  foi mais além: “ele não vem para o debate porque é um moleque irresponsável e por isso mesmo nós gravamos todas as entrevistas dele, em todos os programas. Também fizemos “print” de todos os comentários postados nas redes sociais. Agora, tanto ele, como quem falou o que quis na rádio terá de responder judicialmente”, disse Marião, reiterando ainda que “esse moleque irresponsável causou danos irreparáveis, tanto a minha família quanto a do “Belezinha”. Ele não nos respeitou ao chamar-nos de formadores de quadrilha. Nas redes sociais e no WhatsApp fomos chamados de corja de ladrões. Por conta disso teve gente na minha família que ficou doente, com danos irreversíveis à saúde”, frisou o secretário do Desenvolvimento Econômico, Mário Hoeller de Souza.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário