Empresários pedem ao ministro Lummertz menos impostos a produção de vinhos

A pesada carga tributária que incide sobre as vinícolas e a produção vinhos como o ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS, o Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI, a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social –Cofins e o Programa Integração Caixa Social – PIS, que fazem com que a tributação sobre o vinho nacional chegue a 58,29% do custo de produção.Esta foi uma das reivindicações dos empresários donos de vinícolas da Serra Catarinense ao ministro do Turismo Vinicius Lummertz, durante visita a São Joaquim, na tarde desta sexta-feira (27).

Ao recepcionar num almoço regado a vinhos finos o ministro, sua comitiva, políticos e convidados, o empresário Saul Bianco, dono da vinícola Leone di Venezia falou de sua origem, sobre o empreendimento em enologia e lamentou que a carga tributária seja tão pesada no Brasil.“Precisamos reduzir a carga tributária para que nossos vinhos sejam mais competitivo, porque os vinhos importados do Chile e Argentina são produzidos praticamente sem impostos. Por isso chegam tão baratos no mercado nacional”, declarou.O prefeito de São Joaquim Giovani Nunes falou da importância da integração dos municípios para implantar os roteiros do enoturismo e reforçou pedido para que o ministro que é catarinense, ajude a Serra Catarinense. O prefeito protocolou dois ofícios com o ministro. Por mais de 30 minutos, o ministro falou de assuntos como a integração regional de negócios, a importância de obras de arte e cênicas, das belezas da Serra Catarinense.“A nossa percepção em Santa Catarina, ainda é que o turismo é um polo passivo da economia. Mas o turismo é uma parte ativa, geradora de riquezas, não gera acumulação de capital e por isso temos de intensificar a atividade”, defendeu. Ele observou que ano passado, um em cada cinco empregos no mundo foram gerados pelo turismo.Presenteado com vinhos premiados, o ministro visitou também a vinícola Villa Francioni e foi recebido por uma das proprietárias, Adriana Borges de Freitas. Depois conheceu a vinícola D’Alture, do empresário Don Roberto Chaves e foi até o Parque de Exposições de São Joaquim, onde prestigiou um rodeio e a abertura da 11ª Cavalgada da Nevasca.

Por:Oneris Lopes

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário