//Obra inacabada causa indignação a moradores

Obra inacabada causa indignação a moradores

Primeiro secaram a lagoa como primeiro objetivo no cumprimento de interesses particulares. Aterraram e construíram um estacionamento em frente ao Centro Eventos.  Logo abaixo o Governo do Estado, via Fundo Social tendo como concedente a ADR Lages e como entidade executora a Prefeitura de Lages que iniciou a pavimentação asfáltica, drenagem urbana, execução de passeios em Paver na rua Archilau Batista do Amaral, cujo investimento foi na ordem de 1.431.280,55.

A obra foi iniciada em 15/03/2018, com um prazo de execução de 5 meses que venceu em 15/08/2018. E a empresa Construtora foi a CCL Construtora Lages. O fato é que, a obra não teve conclusão, e o que foi feito é de péssima qualidade. O passeio público por exemplo, as conhecidas calçadas, as que foram feitas já estão apresentando rachaduras, e algumas delas parecem que foram construídas com materiais de qualidade inferior, e já estão se deteriorando. Em muitos locais, há trechos que, nem sequer foram concluídas. O que leva os moradores a indagarem: “e as fiscalizações não aconteceram? Como pode uma empresa, aqui de Lages realizar um serviço de baixa qualidade como esse? O contrato venceu. A CCL Construtora Lages não terminou a obra e também não foi renovado o contrato com ela. Ou seja, prejuízos aconteceram. Principalmente a nós moradores aqui do bairro. Antes éramos vítimas de enchentes. Nossas casas foram invadidas várias vezes por alagamentos e enxurradas. Cheguei  a perder a maioria dos móveis de casa. Hoje, estamos preocupados novamente.

O serviço porco que foi feito pela CCL poderá causar novas enchentes. Os tubos cederam. E se não houver uma rápida providência nem sabemos o que poderá acontecer. Antes diziam que não haviam tubos. Agora há tubos amontoados e não realizam a obra. Já solicitamos e reclamamos. Ninguém atende, e nem sequer apresentam uma solução para o problema. Enfim, como sempre, os moradores é que sofrem com o que fazem de serviço sem qualidade”, desabafou o morador Areovaldo Domingos da Silva.