Lageano nocauteia adversário e emociona o público ao citar a morte do filho como exemplo

Natanel Ribeiro venceu no K-1 Open Floripa e fez homenagem ao pequeno Pietro

O valor de uma luta, em cima de um ringue contra um adversário, não é o mesmo que o de uma vida. Com essas palavras, Natanael Ribeiro, 33 anos, de Lages, emocionou as pouco mais de 70 pessoas presentes no evento de kickboxing K-1 Open, sábado, em Florianópolis.Ao dar o seu depoimento após nocautear Cesar Motta, na última luta do evento, Tio Nata, como é chamado, lembrou da perda do filho de criação Pietro, que por mais de dois anos e meio lutou contra a doença de pompe, um distúrbio neuromuscular hereditário raro que causa fraqueza muscular progressiva. O pequeno Pietro se foi neste ano, mas deixou inspiração para o pai e a mãe Nani Soares, já que o pequeno morou no hospital durante todo esse tempo.Hoje em dia na luta eu me inspiro muito no Pietro. Tenho o sonho de ser pai biológico e de ser um grande campeão, ter um título mundial, um sonho mais alto — contou ele, vestindo uma camisa com a foto do pequeno junto da mãe.
Uma lâmpada só em cima do ringue, leve penumbra estilo academia do Rocky Balboa e cadeiras de plástico deram o tom de quase clandestino ao evento, lembrando os filmes antigos, mas as cinco lutas empolgaram o público que foi ao ginásio Estação da Bola e pagou R$ 10 pelo ingresso.Organizador e campeão continental pela World Kickboxing Network, o veterano Marreta Correa, referência no kickboxing catarinense, espera poder melhorar na próxima etapa do K-1 Open.  A gente organizou muito em cima da hora, era pra ter 10 combates, mas foram cinco lutas boas, esses meninos estavam vindo da primeira etapa e eles foram bem — analisou.

Texto e Foto: Jorge Jr. / Hora SC

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário