Condutor que atropelou e matou jovem no Pro Morar está solto. População pede por Justiça

Com o atropelamento da jovem Michele Lopes de Liz, 25 anos, ocorrido no dia 18 às 21h35 min, a qual nem sequer foi socorrida pelo condutor que a atropelou na rua Edmundo da Costa Arruda, bairro Pró Morar em Lages, vindo a óbito. Por essa razão, familiares da vítima, amigos e moradores do bairro querem e exigem segurança nas vias públicas, onde as iluminações públicas são precárias, as sinalizações da ruas não existem. A indignação ainda é maior porque, o condutor que atropelou e matou a jovem está em liberdade, ainda dando uma de galo em terreiro alheio. Depois de atropelar e não prestar socorro à vítima, se acha no direito de ameaçar as pessoas que condenaram a sua atitude. Ele deveria era colocar a mão na consciência e se arrepender pelo que praticou. Os moradores indignados estão cobertos de razões. Tudo tem limite! E por isso, por duas vezes realizaram manifestações pelas ruas do bairro Pró Morar, reivindicando segurança no trânsito nas ruas daquela periferia. Solicitam por um trânsito mais humano “e levado a sério”. A começar pelas sinalizações que não existem, a cargo da Diretran. Não basta apenas uma placa de alerta, é preciso lombadas, inibidores de velocidades (tartarugas), faixas de segurança para pedestres, ou, pelo menos uma vez na semana, que um Agente de Trânsito se faça presente naquele bairro. Lembram os moradores que, dá maneira como está, é impossível  continuar. “Não há pai de família que fique sossegado nesse trânsito louco, onde ninguém respeita ninguém”, desabafou uma moradora.

 QUEREMOS JUSTIÇA!!!!

Pela manhã de quinta-feira , durante a primeira passeata e também na parte da tarde, o que se ouvia era pedido de Justiça. “Queremos Justiça”, era o slogan da reivindicação. Ninguém, nenhum morador se conforma com a trágica morte da jovem. E o causador da morte em liberdade. Inconsequente, sem nenhum remorso, ainda  querendo ameaçar os outros. Somente a Justiça para se fazer Justiça. Não é redundância, é o apelo de todos os pais de família do Pró Morar. “Esse cidadão, se assim se pode dizer, mesmo tendo praticado uma selvageria, tem que receber uma punição exemplar. Ele brincou com a vida de uma jovem cheia de vida”, observou um outro jovem, ainda menor de idade.

PRESENÇA DA IMPRENSA

Os moradores queriam de toda forma que a imprensa se fizesse presente durante as manifestações. Representantes de alguns veículos de comunicação estiveram  presentes. Porém, segundo o que disse um cidadão, “eles parecem que não falam a nossa língua. Parecem que não sabem transmitir aos quatro ventos a nossa indignação”, disse um interlocutor, solicitando que um representante de Notícia no Ato se fizesse presente.  E assim foi. Jatir  Fernandes, repórter policial, foi ver e ouvir a comunidade do Pró Morar.  De Gilmar Passos de Liz, 49 anos, assim ouviu: “Tivemos a tragédia com uma pessoa da nossa família. Não queremos que uma outra fatalidade venha acontecer em nosso bairro. Por isso queremos segurança nas ruas, no trânsito e Justiça para o condutor que ocasionou a morte da nossa querida Michele. É inadmissível, alguém mata no trânsito, não presta socorro, está em liberdade e ainda querendo provocar mais confusões com outras pessoas que também estão indignadas com o que ele fez. Por isso, queremos calçadas, iluminação nas ruas, sinalizações, lombadas, faixas de segurança, e tudo o mais que temos direito para evitar que uma outra desgraça aconteça com algum membro de outra família qualquer. Além do mais, o matagal existente nas imediações também propicia a prática do crime, servindo apenas para esconderijo de bandidos e maconheiros.”, observou o cidadão indignado.

Prefeitura em nota

Com o objetivo de melhorar o fluxo do trânsito e garantir mais conforto, segurança e qualidade de vida aos moradores, a Prefeitura de Lages realizou no segundo semestre de 2017 uma operação tapa-buracos e o recapeamento asfáltico de parte da Rua Edmundo de Castro Arruda, no bairro Promorar. Os trabalhos contemplaram o alargamento da pista para sete metros e a regularização do solo, com o levantamento de 60 centímetros em relação ao nível normal da via. Esta foi apenas uma das mais de 20 obras de pavimentação e recuperação de ruas e avenidas em diferentes bairros de Lages só em 2017. E até o fim do mandato da atual administração, em dezembro de 2020, a proposta é que este número chegue a 100.Com 800 quilômetros de vias urbanas, a Prefeitura de Lages se esforça para atender com a maior brevidade possível as demandas das comunidades. Mas tudo de forma organizada, planejada e dentro de um cronograma.Assim, a orientação é que a Associação de Moradores do Promorar protocole a pauta de reivindicações junto à Secretaria de Política para a Mulher e Assuntos  Comunitários, que dará o devido encaminhado às pastas responsáveis por cada situação.

Achou essa matéria interessante? Compartilhe!

Deixe um comentário