//Vereadores conhecem as exigências da Berneck S.A. para instalar em Lages

Vereadores conhecem as exigências da Berneck S.A. para instalar em Lages

 

Hoje, dia 26, pela manhã, segunda-feira, o prefeito de Lages, Antônio Ceron, PSD, apresentou aos vereadores, o projeto de lei de Cessão de Direito Real para a empresa Berneck S.A. Painéis e Cerrados que pretende instalar-se uma unidade fabril em Lages. Dos 14 vereadores, apenas dois, não marcaram presenças. O vereador Bruno chegou após o término da reunião e o edil Vone Schuermann justificou sua ausência. Vale lembrar que, além de Lages, outros municípios através de seus prefeitos e de autoridades também pleitearam a ida da indústria para suas respectivas regiões; inclusive, do norte do Estado onde a empresa possui reflorestamentos. Há quem diga que a influência do Governador Raimundo Colombo foi praticamente decisiva para que a Berneck optasse pela instalação em Lages. Nada oficial, apenas comentários soltos ao vento .

Localizações dos imóveis

Oficialmente já se sabe que a Berneck terá duas áreas de terra à sua disposição no município: ao lado da JBS, junto ao Rio Caveiras, na divisa de Lages com Capão Alto, numa extensão de 576.943,02 metros quadrados, localizada na Fazenda Cruz de Malta, sob demanda judicial, já que os herdeiros pedem um valor maior, a título de indenização pelas plantações de pinus existentes no local. A outra área, adquirida da Seara Alimentos Ltda, é de 339.694,95 metros quadrados, localizada na Área Industrial Sul, anexo a Fazenda Cruz de Malta. Somam as duas áreas 916.637,97 metros quadrados.

Água: em quantidade

Segundo o projeto da Berneck, será instalada uma fábrica de MDF e uma linha de serrados de madeira de pinus, além de uma caldeira com Unidade de Cogeração de energia elétrica. Daí a necessidade de água em quantidade. Foi ao que o “bendito” Rio Caveiras mais uma vez salvou as intenções de Lages, tal qual foi com a Brahma que também fez a mesma exigência para instalar-se aqui. Segundo o secretário municipal da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mário Hoeller de Souza, “Marião”, “ a Berneck vai usar 80 metros cúbicos de água por hora. A captação será depois da Semasa e da Brahma”. Essa água será utilizada na fábrica de MDF e HDF e madeira serrada de pinus, incluindo aí a cogeração de energia.

Outras exigências

A sorte esteve do lado de Lages, popis uma das exigências era de que as áreas de terra fossem ao lado ao lado da BR 116, a qual está sendo duplicada pela Auto Pista Planalto Sul, até o trevo de Capão Alto, e terá um elevado que dará acesso à fábrica, por onde circularão 600 caminhões por dia aproximadamente. Na verdade o que interessa a todos é quando a Berneck começará a operar definitivamente em Lages. De acordo com o presidente da empresa Gilson Berneck, “a empresa planejou uma construção num prazo de 36 meses; porém, queremos construir em 30 meses, dependendo do Licenciamento Ambiental” confirmou o prefeito Antônio Ceron. Por outro lado, a Celesc se comprometeu a entregar a energia na porta da indústria, já que uma das atividades será a cogeração de energia que será devolvida ao Sistema Nacional de Energia. A implantação da indústria em Lages também beneficiará os pequenos reflorestadores que tinham apenas um comprador. Um outro fator preponderante, é que, de acordo com o anunciado pelo presidente da indústria, a mão de obra será local, propiciando empregos a 550 trabalhadores diretos e 1925 indiretos, com um investimento de R$ 800 milhões.