//ADVOGADO DE POLICIAL MILITAR PRESA QUESTIONA PERÍCIAS REALIZADAS NO PROCESSO E REQUER A LIBERDADE DE SUA CLIENTE

ADVOGADO DE POLICIAL MILITAR PRESA QUESTIONA PERÍCIAS REALIZADAS NO PROCESSO E REQUER A LIBERDADE DE SUA CLIENTE

 

Nesta segunda-feira, o advogado criminalista Marco Antonio Vasconcelos Alencar Junior ingressou com pedido judicial questionando o laudo pericial de exame cadavérico realizado no dia 1/07/2019 no cadáver de Érick Fernando Rodrigues de Campos, morto no dia 28/06/2019 e a ausência de laudos técnicos do IGP.
No processo há 4 pessoas presas desde o último dia 20/09/2019, após a Justiça Pública de Lages ter determinado a prisão preventiva de três policiais militares e mais um homem, sendo que todos foram denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina pela morte de Erick, encontrado morto com lesões na cabeça no Rio Caveiras em Lages, no dia 1º de julho.
Os quatro suspeitos são investigados por homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, meio cruel e surpresa, e ocultação de cadáver. Além disso, dois dos policiais também devem responder por inserção de dados falsos, segundo a Justiça.
Por sua vez, a defesa da policial militar feminino se insurgiu em face do laudo pericial de exame cadavérico em razão de algumas divergências e falhas nas informações nos achados médico legais e questionou a ausência de laudos de verificação de vestígios de sangue no suposto local do crime, do carro e do local onde o cadáver foi encontrado, tudo para que através de uma prova técnica pudesse chegar ao exato local onde Érick tenha sido morto.
A defesa da policial militar feminino também requereu a concessão da liberdade da sua cliente por entender que não há qualquer prova de participação desta no evento criminoso, além desta possuir todos os requisitos autorizadores para responder o processo em liberdade.
Segundo se apurou, a defesa da PFem menciona que a paz social, a tranquilidade da comunidade e a continuidade do tramite processual não estão ameaçados com a soltura da Policial Militar Feminino.
O pedido estará sendo analisado nos próximos dias pelo Juiz da 1ª Vara Criminal da Comarca de Lages.